Preços anormalmente baixos – InCI esclarece

publicado em 09-08-2013

 

O instituto da Construção e do Imobiliário (InCI) tomou também posição no passado dia 3 de Julho relativamente ao conceito de preços anormalmente baixos previsto no Código dos Contratos Públicos, de modo a pôr termo a práticas incorretas por partes de algumas entidades adjudicantes.

 

«CIRCULAR INFORMATIVA Nº 03/InCI/2013

 

Assunto: Preço anormalmente baixo (artigo 71.º do Código dos Contratos Públicos)

 

Considerando que nos têm sido relatadas práticas incorretas, por parte de entidades adjudicantes, do ponto de vista da aplicação da norma do artigo 71.º do CCP, quanto ao preço anormalmente baixo, apresentam-se os seguintes esclarecimentos:

 

1 – Preço anormalmente baixo fixado na lei

Ao contrário do que sucedia na legislação revogada pelo Código dos Contratos Públicos, maxime, no Decreto-Lei nº 59/99, de 2 de março, em que se usava um conceito indeterminado de “preço anormalmente baixo” (PAB), o CCP optou, como regra geral, por concretizar aquele conceito do seguinte modo:

a) Nos contratos de empreitada de obras públicas, o PAB é fixado em 40% ou mais inferior ao preço base;

b) Nos restantes contratos, o PAB é fixado em 50% ou mais inferior ao preço base.

 

Exemplo: Preço base numa empreitada: 1.000.000 euros

PAB fixado nos termos do CCP: preço igual ou inferior a 600.000 euros

 

2 – Preço anormalmente baixo convencionado pela entidade adjudicante

A entidade adjudicante tem, no entanto, a faculdade de fixar no convite do ajuste direto (artigo 115º, nº 3), no programa do concurso público (artigo 132º, nº 2) e no programa do concurso limitado, procedimento de negociação ou diálogo concorrencial (para todos o artigo 189º, nº 3) um valor percentual diferente daquele a partir do qual as propostas serão consideradas com “preço anormalmente baixo”. Contudo, este valor não deverá, em princípio, ser fixado com uma amplitude maior do que a prevista na lei, ou seja, deverá, no máximo, atingir o limite percentual de 40% ou 50%, consoante se trate, respetivamente, de contrato de empreitada de obras públicas ou de contrato de outro tipo.

 

Exemplo:

Preço base numa empreitada: 1.000.000 euros

PAB convencionado pela entidade adjudicante: 25%, ou seja, preço igual ou inferior a 750.000 euros

 

3 – Justificação do preço anormalmente baixo

Segundo os nºs 3 e 4 do artigo 71.º do CCP, nenhuma proposta pode ser automaticamente excluída com base no preço anormalmente baixo, sem que antes a entidade adjudicante solicite ao concorrente que apresente os fundamentos para esse preço. Vejamos alguns exemplos de fundamentos que poderão justificar um “preço anormalmente baixo”:

a) Economia do processo construtivo ou de fabrico;

b) Soluções técnicas adotadas ou condições favoráveis de que o concorrente disponha;

c) Originalidade da obra, dos bens ou serviços;

d) Obtenção de auxílio do Estado por parte do concorrente.

 

Devem, no entanto, ser liminarmente rejeitadas as propostas de preço anormalmente baixo que impliquem o desrespeito pelo quadro legal vigente, nomeadamente em sede laboral, social ou ambiental.

 

4 – Valorização de propostas de preço anormalmente baixo

Alerta-se as entidades adjudicantes para as más práticas resultantes da valorização incorreta de propostas de preço anormalmente baixo, pelos riscos potenciais que as mesmas representam em termos de incumprimento ou cumprimento defeituoso dos contratos.»

 

 

 

 

 

algeria 

 

não esquecer

Principais Obrigações Fiscais - Abril

IRS – Tabelas de retenção na fonte / 2015

Orçamento do Estado para 2015

Produtos e Materiais de Construção Sujeitos a «Marcação CE»

IMT - Tabelas Práticas 2015

Salário Mínimo, IAS e UC para 2015

Ajudas de Custo 2015

Subsidio de Refeição e de Viagem 2015

Mapa de Férias 2015

Regime de Bens em Circulação

Juros de Mora Comerciais - 1º semestre. 2015

Horário de trabalho e livrete - pessoal afeto à exploração de veículos. Entendimento da ACT

Renovação da Carta de Condução

Contrato Coletivo de Trabalho do Setor

Cadastro Comercial

CAE - Rev. 3 Classificação Portuguesa de Actividades Económicas

Livro de Reclamações

Livretes Individuais de Controlo

Indicação de Preços

Uso da Língua Portuguesa

 

youtube

GREY/GREEN

Filme Promocional da Fileira dos Materiais de Construção, das Empresas e da Arquitetura e Engenharia Portuguesas.

 

SUBSCREVER NEWSLETTER apcmc news

clique aqui

 

 

 

 

sage

 

manutenção de sites