1º Encontro Nacional da Construção e do Imobiliário

 

1º Encontro Nacional da Construção e do Imobiliário, uma iniciativa da CPCI – Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário, reuniu ontem no Pavilhão Atlântico, em Lisboa, milhares de empresários de todo o País. Denunciando a inação do poder político, que nada tem feito para evitar a falência das empresas, numa reação sem precedentes, toda a fileira exigiu soluções imediatas que evitem o colapso iminente do sector.

 

Num momento em que, por dia, se perdem 23 empresas e são eliminados 426 empregos, a CPCI considera imprescindível um efetivo compromisso com o futuro do tecido empresarial do sector, o que, dada a gravidade da atual situação – com empresas sem perspetivas quanto à sua atividade futura e com o desemprego a atingir máximos históricos – exige um verdadeiro Programa de Emergência, que de forma integrada permita não só salvar o sector, mas, de igual modo, evitar consequências insustentáveis e incontroláveis para o País.

 

O imediato pagamento das dívidas do Estado, a dinamização da Reabilitação Urbana e do Arrendamento, a reprogramação do QREN, a estabilização do mercado imobiliário, a liquidez necessária ao funcionamento das empresas, evitando o seu estrangulamento financeiro, o reconhecimento como prioritário do processo de internacionalização do sector, a liberação das cauções, à semelhança do que acontece nos Açores e na Madeira, a revisão do Código dos Contratos Públicos, a eliminação dos impostos, em especial do IMI, que incidem sobre o stock de imóveis para venda, o pagamento do IVA ao Estado após o recebimento das faturas e um regime especial de extensão dos prazos das licenças municipais, são as medidas que a Confederação irá,

desde já, reivindicar e que constam do documento em anexo.

 

 

 

Principais conclusões do encontro [Download]